Levantamento Educacional


Levantamento Educacional


Caro gestor público,

Abaixo segue uma explanação sobre a pesquisa educacional, propósitos e funções, como deve ser a coleta de dados e sua importância para a definição de estratégias de melhoria do ensino no município, ao final numa linguagem simples descrevemos o nosso sistema e suas utilidades para o gestor público, consequentemente os benefícios que trará a sua gestão e a população. É importante deixar claro que nosso sistema é ÚNICO, foi desenvolvido com o apoio de uma equipe técnica cientifica composta de pedagogo, psicopedagogo, nutricionista, estatístico e demógrafo para auxiliar o gestor público no desenvolvimento de políticas públicas de melhoria da educação básica e acessos a educação técnica e superior de qualidade.

Objetivo e Justificativa da pesquisa educacional

A pesquisa tem como principal objetivo apresentar um conjunto de informações que permitam aos gestores, pesquisadores, instituições e interessados na área da educação realizarem diagnósticos que subsidiem o planejamento e a proposição de ações no âmbito escolar e das redes de ensino. Os dados também possibilitam a formulação e a avaliação de políticas públicas na área educacional, visando contribuir com a melhoria da qualidade, equidade e eficiência da educação básica brasileira.

As ações voltadas a aferir qualidade da educação no Brasil tiveram seu início no ano de 1990, através do Sistema de Avaliação da Educação Básica (SAEB), que é coordenado pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (INEP), vinculado ao Ministério da Educação (MEC), medindo a “qualidade” por indicadores obtidos em exames padronizados, que pontuam a educação num score de 0 a 10, onde 10 seria excelência em qualidade de ensino. Apesar de ser uma ferramenta de avaliação de qualidade do ensino notável e ser importante para comparação com municípios de todo o Brasil e do mundo o Ideb só leva em conta dois fatores: quantos alunos passam de ano (taxa de aprovação aferida pelo Censo Escolar) e o desempenho em Língua Portuguesa e Matemática (avaliado pela prova do Sistema de Avaliação da Educação Básica - Saeb). Deixando de lado questões importantes na avaliação educacional como os fatores familiares, de estrutura escolar, dos professores, bem como, indicadores demográficos.

A educação tem sido caracterizada por diversos pesquisadores como um elemento transformador das qualidades gerais de uma população, especialmente, no desenvolvimento socioeconômico. Seguindo nessa linha de análise é importante buscar determinantes que expliquem as divergências na qualidade da educação, especialmente, no que tange às localidades onde estão inseridas as escolas e o público atendido. Isso explica porque fatores demográficos implicam inferências, não só na cobertura, mas também na qualidade educacional e faz com que a educação seja considerada como um dos principais mecanismos de mobilidade social.


Outra importante vertente no processo de aprendizagem é a qualidade da alimentação ofertada na escola. Para muitas das crianças em situação de vulnerabilidade social, a merenda escolar é o único alimento que recebem durante o dia. Mesmo sabendo que o café da manhã é tido como a refeição mais importante do dia, muitas famílias simplesmente não têm como oferecer o desjejum em casa, e acabam enviando suas crianças à escola com o estômago completamente vazio. Essa realidade desalentadora reforça ainda mais a importância de a escola oferecer refeições mais saudáveis e nutritivas para as crianças. Assim, todos os esforços que permitam uma melhoria de qualidade da alimentação escolar distribuída aos alunos são essenciais. Por esse motivo teremos as questões voltadas para importância da merenda escolar no processo alimentar dessa criança.

De acordo com o PNAE (Programa Nacional de Alimentação Escolar), a alimentação escolar tem como objetivo fornecer uma alimentação adequada em quantidade e qualidade e, com isso promover saúde, qualidade de vida e, por conseguinte, um crescimento e desenvolvimento adequado para os estudantes, atendendo suas necessidades nutricionais e contribuindo com a construção de hábitos alimentares saudáveis. Além disso, convém considerar a realidade de muitos lares brasileiros em que muitas vezes aquela refeição escolar é uma das únicas refeições (senão a única) que aquele indivíduo faz ao longo do dia (considerando todas as faixas etárias que recebem merenda, desde a pré-escolar ao EJA, entre outros), logo é de suma importância avaliar a qualidade dessa merenda ofertada, assim como a aceitação, os marcadores de consumo e, a composição corporal desses estudantes, visando ter uma resposta sobre o programa, assim como se há uma melhoria no crescimento e desenvolvimento desses grupos assistidos e, se necessário implementar medidas que aumentem a sua aprovação e consumo e, com isso minimize os possíveis desperdícios de alimentos.

Pensando nisso, o questionário será composto por questões que englobem esses pontos, mais precisamente os marcadores de consumo alimentar e, de aceitação da alimentação escolar, sendo assim será composto por:


  • Aceitação da alimentação escolar: percentual dos alunos que respondem se a alimentação escolar influencia na frequência escolar e se consomem ou não essas refeições e, presença de cantinas/ambulantes e, caso sim, de quais alimentos são mais consumidos nesses pontos de venda;
  • Perfil de consumo alimentar baseado nos protocolos propostos pelo SISVAN (Sistema de Vigilância Alimentar e Nutricional) do Ministério da Saúde, buscando avaliar o consumo por grupos alimentares e, possíveis carências nutricionais (e, se necessário a notificação da presença de doenças como anemia, diabetes, hipertensão, osteoporose, entre outras).


Coleta de dados e informações

A qualidade da informação depende, sobretudo, da adequada coleta de dados, por esse motivo a equipe de coletores do EMET Instituto são constantemente treinados e testados pra realizar o levantamento de forma concisa, tratando o entrevistado com o devido respeito e consideração que merece.

É importante lembrar que a grande maioria dos Estados não possuem em seu quadro profissionais capazes de realizar um levantamento abrangente e complexo como este, o qual é necessária uma equipe multidisciplinar especializada.

Os dados além de coletados, precisam ser analisados, filtrados e disponibilizados em diversos formatos, o que seria impossível de se fazer manualmente. A quantidade de informação, variedade e complexidade é tamanha que o tempo necessário para a sua análise seria tão grande que o seu resultado já estaria obsoleto. Uma vez coletados e tratados a tempo, estes dados se transformam em INFORMAÇÃO CONFIÁVEL, capaz de subsidiar o planejamento, a avaliação, a manutenção e aprimoramento das ações. O valor da informação (dado analisado) depende da precisão com que o dado é gerado. Portanto, os responsáveis
pela coleta devem estar preparados para aferir e coletar dados com técnica e precisão.

Com levantamentos estatísticos confiáveis, o plano amostral permite aos orgãos públicos traçarem metas exequíveis e reais para a solução do problema.

Nosso sistema realiza um levantamento ATUAL, baseado em coleta de dados junto a população de acordo com um plano amostral estabelecido por estatísticos. O andamento da pesquisa, bem como a visualização dos resultados poderão ser acompanhados por meio do sistema exclusivo do EMET instituto chamado VOX, nesse sistema o gestor público poderá ter acesso de qualquer lugar e a qualquer momento, por meio de um computador ou dispositivo móvel com acesso a internet e que seja compatível com o sistema, podendo filtrar as informações por bairro, sexo, grupo etário, perfil do entrevistado entre outras variáveis. 

Além do relatório de conclusão fornecido pelo nosso instituto, ou seja, a qualquer momento com um toque o gestor público tem acesso a qualquer tipo de informação sobre a população de sua cidade, estado ou país, com os mais variados filtros possíveis


 Delineamento da Pesquisa Educacional:

Encontrar soluções capazes de revolucionar a educação pública no Brasil requer muito mais que uma análise superficial de dados, é necessário enveredar nas limitações físicas, psíquicas e sociais, as quais os atores envolvidos no processo educacional brasileiro atravessam, nesse sentido essa pesquisa identificará os aspectos relacionados as esferas educacionais do município, focada no Ensino Fundamental com ênfase no aluno, na inclusão da pessoa (aluno) com deficiência, nos aspectos nutricionais do aluno, na família e no docente, Inclusão/Exclusão Digital do aluno e da população, e Acesso ao Ensino Superior e TécnicoE trará sugestões de melhoria direcionadas as áreas abordadas. 

Ensino Fundamental:

Questões voltadas para o aluno:

  • Perfil do estudante;
  • Identificar os fatores que levam a Evasão Escolar;
  • Nível de satisfação;
  • Qualidade do Ensino;
  • Qualidade da infraestrutura educacional;
  • Dificuldades de acesso à escola;
  • Avaliação do ensino em tempos de COVID-19;
  • Grade curricular

 

Questões voltadas para o aluno com deficiências:

  • Perfil do estudante;
  • Nível de satisfação;
  • Qualidade do Ensino;
  • Qualidade da infraestrutura educacional;
  • Acessibilidade para pessoas com deficiências;
  • Disposição de recursos facilitadores do aprendizado para pessoas com deficiência;
  • Existência de profissional para apoio escolar da pessoa com deficiência;

Aspectos Nutricionais do aluno:

  • Marcadores do Consumo Alimentar
  • Avaliação da merenda escolar servida;
  • Aceitação da alimentação escolar

  

Questões voltadas para os pais e/ou responsáveis:

  • Perfil sociodemográfico dos pais e/ou responsáveis;
  • Quantificar e identificar a população analfabeta no município;
  • Estimar a evasão escolar domiciliar (número de pessoas em idade escolar que estão fora da escola);
  • Identificar os fatores que levam a Evasão Escolar;
  • Nível de satisfação com educação;
  • Qualidade do Ensino;
  • Qualidade da infraestrutura educacional;
  • Avaliação da merenda escolar;
  • Avaliação do ensino em tempos de COVID-19;

 

Questões voltadas para o docente:

  • Perfil sociodemográfico do docente;
  • Oferta e demanda por capacitação para o corpo docente;
  • Nível de satisfação do corpo docente;
  • Qualidade do Ensino;
  • Qualidade da infraestrutura educacional;
  • Condições de trabalho;
  • Avaliação do ensino em tempos de COVID-19;
  • Acessibilidade para pessoas com deficiências;
  • Qualidade do Ensino para portadores de necessidades especiais;
  • Utilização de recursos facilitadores do aprendizado;
  • Capacitação de profissional para apoio escolar da pessoa com deficiência;

Inclusão/Exclusão Digital:

Questões voltadas para o aluno:

  • Identificar junto aos alunos se possuem acesso à internet;
  • Qual tipo de rede de acesso a internet utilizado;
  • Verificar a frequência de acesso à internet;
  • Verificar quais os principais motivos que levam os alunos a acessar a internet;
  • Identificar adeptos do Ensino a distância e qual nível acadêmico;
  • Verificar quais meios mais usados para acessarem a internet;

 

 Questões voltadas para população geral:

  • Identificar junto a população percentual de pessoas com acesso a Internet;
  • Verificar a frequência de acesso a internet;
  • Verificar quais os principais motivos a acessar a internet;
  • Verificar quais meios mais usados para acessarem a internet;
  • Identificar zonas de exclusão digital;
  • Identificar se há necessidade para criação de Centros de Inclusão Digital que visam combater a exclusão digital


Acesso ao Ensino Superior e Técnico:

  • Quantificar e identificar a população com curso superior ou técnico na população;
  • Quantificar e identificar a população que concluiu ou que está concluindo o nível médio no município;
  • Identificar entre a população com nível médio o interesse em cursar nível técnico/superior;
  • Verificar quais as principais dificuldades para o ingresso nos cursos de nível técnico/superior;
  • Verificar quantos jovens fazem ou já fizeram curso preparatório para o ENEM;
  • Identificar quantos alunos estudam em Faculdades/Universidades em outras cidades;
  • Identificar despesas fixas dos alunos de universidades;
  • Identificar quais os principais motivos para jovens não tentarem acesso a universidades;
  • Identificar quais seriam os cursos técnicos que poderiam ser oferecidos pelo município;
  • Identificar se há demanda municipal para a criação de curso preparatório para o ENEM;


Assim que concluso o estudo científico, será possível determinar as principais demandas municipais e sugerir várias ações para corrigir possíveis distorções. Além disso o Estudo poderá sugerir a criação de Cursos técnicos, cursos preparatórios para o ENEM e de Centros de Inclusão Digital, a fim de elevar a qualidade de ensino como todo, gerar emprego e renda, qualificar mão de obra e principalmente combater a exclusão digital.

 

JUSTIFICATIVA LEGAL

Constituição Federal de 1988

Lei 9.394/96

Lei 13.146/2015

 

Constituição Federal (CF/1988): art. 205. A educação, direito de todos e dever do Estado e da família, será promovida e incentivada com a colaboração da sociedade, visando ao pleno desenvolvimento da pessoa, seu preparo para o exercício da cidadania e sua qualificação para o trabalho.


Lei de Diretrizes e Bases da Educação (Lei 9.394/96): art. 70, IV: Considerar-se-ão como de manutenção e desenvolvimento do ensino as despesas realizadas com vistas à consecução dos objetivos básicos das instituições educacionais de todos os níveis, compreendendo as que se destinam a: IV - levantamentos estatísticos, estudos e pesquisas visando precipuamente ao aprimoramento da qualidade e à expansão do ensino.


Lei Brasileira de Inclusão da Pessoa com Deficiência (13.146/2015): art. 28, I, II, V, VI VII: I - sistema educacional inclusivo em todos os níveis e modalidades, bem como o aprendizado ao longo de toda a vida; II - aprimoramento dos sistemas educacionais, visando a garantir condições de acesso, permanência, participação e aprendizagem, por meio da oferta de serviços e de recursos de acessibilidade que eliminem as barreiras e promovam a inclusão plena; V - adoção de medidas individualizadas e coletivas em ambientes que maximizem o desenvolvimento acadêmico e social dos estudantes com deficiência, favorecendo o acesso, a permanência, a participação e a aprendizagem em instituições de ensino; VI - pesquisas voltadas para o desenvolvimento de novos métodos e técnicas pedagógicas, de materiais didáticos, de equipamentos e de recursos de tecnologia assistiva;  VII - planejamento de estudo de caso, de elaboração de plano de atendimento educacional especializado, de organização de recursos e serviços de acessibilidade e de disponibilização e usabilidade pedagógica de recursos de tecnologia assistiva;